Por que os acidentes de moto aumentaram na pandemia?

Artigos

Neste Dia Nacional do Motociclista, lembrado sempre em 27 de julho, trazemos como tema algo que é muito importante: a vida daqueles que andam sobre duas rodas. Não à toa, a vulnerabilidade e a fragilidade deste tipo de condutor no trânsito é o tema da campanha deste mês do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

A pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19) fez com que houvesse um aumento significativo dos acidentes de moto. De acordo com um estudo realizado pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), mais de 167 mil internações de motociclistas foram registradas pelo SUS (Sistema Único de Saúde) somente entre março de 2020 e julho de 2021.

Leia também: Hora de encarar o trânsito de forma inteligente

 

Além de impactos consideráveis para as vidas desses motociclistas, o número crescente de acidentes de moto em meio à pandemia também representou impactos nos cofres públicos da ordem de R$ 279 milhões. Os estados que mais apresentaram esses incidentes se concentram nas regiões Nordeste e Sudeste, com destaque para a Bahia e São Paulo. Nestes, os números de internações ficaram acima da média nacional.

Outro dado do estudo da Abramet revelou que 80% dos acidentes de moto têm homens na condução do veículo, principalmente na faixa etária de 20 a 29 anos, que é responsável por mais de 35% das ocorrências. Em seguida estão os motociclistas de 30 a 39 anos, os quais correspondem a 24% dos internamentos.

 

Por que há aumento de acidentes de moto na pandemia?

Segundo dados do World Resources Institute (WRI), cidades de todo o mundo registraram aumento no número de multas por conta do excesso de velocidade durante a pandemia. O problema tende a estar relacionado ao fato de que o isolamento social retirou parte da população das ruas. Com as pistas mais livres, muitos condutores se sentiram mais à vontade para pisar no acelerador, desrespeitando as regras de trânsito.

Outro ponto destacado pelos especialistas diz respeito ao crescimento exponencial dos serviços de delivery durante a pandemia. Com mais trabalhadores na rua e a necessidade das entregas precisarem ser feitas rapidamente, o número de acidentes envolvendo motociclistas acabou potencializado.

 

O que fazer para reduzir os acidentes de moto?

Para reduzir os acidentes de moto, os especialistas em segurança no trânsito recomendam que os governos locais devem implementar algumas medidas consideradas essenciais:

  • Limites de velocidade em vias urbanas e áreas escolares;
  • Instalação de radares e placas nas principais vias do município;
  • Um redesenho das cidades, com ruas inteligentes que buscam diminuir as possibilidades de acidentes entre veículos;
  • Implantação de ciclovias;
  • Promoção no uso de meios de transportes alternativos, como bicicletas e patinetes.

 

Leia também: A importância da prevenção no trânsito

De parte dos motociclistas, algumas dicas básicas para evitar os acidentes, recomendam: não utilizar o telefone celular enquanto estiver dirigindo; respeitar os limites de velocidade; fazer a manutenção da moto periodicamente; usar os faróis corretamente; manter uma distância segura do veículo da frente; não pilotar caso tenha consumido bebida alcoólica.

 

Campanha do Contran tem foco nos motociclistas

Neste mês de julho, o Contran tem dedicado suas campanhas educativas de trânsito aos motociclistas, trabalhando a importância do uso de capacete, da habilitação, controle da velocidade, riscos de se trafegar em pontos cegos e uso de demais equipamentos de segurança.

Além disso, o órgão vinculado ao Ministério da Infraestrutura também tem considerado o crescimento da frota de motocicletas durante a pandemia e seus impactos na atividade de motofretistas e mototaxistas, atuando na regularização e fiscalização sobre o serviço de motofrete.

 

Semáforos inteligentes coíbem acidentes

Sabia que os semáforos são responsáveis por organizar o trânsito e proteger motoristas e pedestres contra o risco de acidentes? Entretanto, quando sua programação para controlar o tempo de abertura e fechamento é fixa, um efeito colateral é o engarrafamento, que causa a insatisfação de cidadãos e até mesmo graves acidentes.

Felizmente, já há semáforos nos centros urbanos que dispõem da capacidade de somar inteligência para otimizar os tempos de sinal verde. Estes equipamentos, quando integrados a um sistema de gestão e monitoramento do fluxo de veículos, melhoram o trânsito do local onde existem as ocorrências.

Esse é o caso do sistema VIGIA-VL, desenvolvido pela Pumatronix, que promove melhor monitoramento e análise de tráfego por vídeo e leva fluidez às vias públicas quando integrado aos chamados semáforos inteligentes.

 

Origem do Dia do MotociclistaEm 27 de julho de 1974 morria o motociclista e mecânico da Honda Marcus Bernardi. Em homenagem a ele, o então proprietário da concessionária Honda de Sorocaba (SP) Rogério Gonçalves, sugeriu que o deputado Alcides Franciscatto propusesse, em 1984, a criação do Dia Nacional do Motociclista, o que foi acatado oficialmente pela Associação Brasileira de Motociclistas (Abram).

Fique atualizado

Matenha-se por dentro das novidades tecnológicas para estradas e cidades inteligentes.

    Isso vai fechar em 0 segundos