A importância dos Centros de Controle Operacional para a mobilidade

Artigos

Centros de Controle Operacional, como o do Rio de Janeiro, atuam de forma integrada com diversos órgãos para o monitoramento das grandes cidades/Foto: Divulgação

Você já ouviu falar em Centros de Controle Operacional? Em se tratando de mobilidade urbana, um problema crônico das grandes cidades brasileiras nas últimas décadas, estes complexos que já funcionam em capitais como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre são capazes de centralizar informações e profissionais (engenheiros, meteorologistas, agentes de trânsito, entre outros) por meio de monitoramento em tempo real.

Imagine a seguinte situação: um congestionamento começa a tomar grandes proporções no centro da sua cidade, o que gera filas consideráveis e prejudica o fluxo. Em cidades inteligentes, dotadas de Centro de Controle Operacional, fotos e vídeos em tempo real, obtidos por meio de dispositivos de captura de imagens instalados em postes, por exemplo, são enviados para os técnicos que atuam nessas unidades, o que possibilita mobilizar o órgão de trânsito para o local da ocorrência.

Em dias em que a meteorologia prevê a ocorrência de chuvas intensas, fazendo uso, por exemplo, de estações meteorológicas como a da Plugfield, estas informações também são enviadas para estes Centros de Controle Operacional, que logo conseguem comunicar à Defesa Civil do município sobre os possíveis riscos, a qual pode se dirigir até o local e alertar à população, evitando possíveis deslizamentos de terra, desabamentos de imóveis e demais tragédias.

Leia também: Tecnologias nacionais de IoT para a mobilidade urbana

 

Ferramentas de ITS

Os Centros de Controle Operacional costumam utilizar ferramentas de ITS (Intelligent Transportation System) para a rápida tomada de decisão frente às situações adversas que venham a comprometer o serviço oferecido aos usuários. Entre elas, podemos destacar os Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs), conectividade por fibra óptica, Circuitos Fechados de Televisão (CFTV), License Plate Recognition (LPR) e Optical Character Recognition (OCR).

Estas unidades gerenciais contam, inclusive, com informações do sistema de bilhetagem eletrônica que permite saber, em tempo real, a localização de cada ônibus do transporte urbano, a velocidade desenvolvida, se parou no ponto ou fora dele, quantos passageiros passaram pelas catracas, quantos isentos, quantos pagaram com cartão ou dinheiro e qual a situação do veículo naquele momento.

 

GPS integrado e aplicativos

Por meio de dispositivos instalados no interior dos ônibus que integram a frota do transporte, os motoristas visualizam, em telas de LCD, os horários pré-definidos a serem cumpridos, o que possibilita controlar atrasos ou adiantamentos de horários, além de trocar informações referentes à operação com os técnicos do Centro de Controle de Operações via mensagens de texto.

Outro benefício é a possibilidade de localizar os ônibus através de um módulo GPS integrado e, dessa forma, informar em tempo real ao usuário do transporte o tempo previsto de chegada desses veículos ou quaisquer alterações na sua rota ou horário. Tais dados ficam disponíveis para à população nos terminais e estações-tubo (caso de Curitiba), bem como por meio de aplicativos para smartphone. A gestão das imagens fica a cargo dos Centros de Controle de Operações.

 

Sensores estratégicos

Em linhas gerais, os Centros de Controle de Operação utilizam o que há de mais moderno em tecnologia para o gerenciamento das informações fornecidas pelas agências integradas e por sensores inteligentes que são estrategicamente posicionados pelas cidades.

Em cada uma das cidades em que há Centros de Controle de Operação, uma média de 700 a 800 dispositivos de captura e processamento de imagem são monitorados pelas equipes que atuam nas unidades, possibilitando uma integração com os órgãos responsáveis pela segurança pública.

Todas as informações geradas pelos sensores e softwares podem ser visualizadas, de forma integrada, em telões que chegam a medir 65 metros quadrados. Em situações de crise, os Centros de Controle de Operação ainda disponibilizam um sistema de videoconferência que permite comunicação (em tempo real) com a residência oficial do(a) prefeito(a) e a sede da Defesa Civil municipal.

Leia também: Conheça 3 tendências de mobilidade em 2022

 

5 benefícios dos Centros de Controle de Operações para a mobilidade:

  • Gestão integrada com os órgãos públicos (trânsito, segurança, ambulâncias, etc.);
  • Capacidade ampliada de prevenir engarrafamentos e acidentes;
  • Geração de informações (em tempo real) sobre o transporte público para motoristas e usuários);
  • Redução dos índices de atrasos no transporte público;
  • Identificação da ocorrência de crimes e encaminhamento da situação às autoridades.

 

Pumatronix e a mobilidade urbana

Com o retorno das atividades normais de circulação de veículos, garantir que os cidadãos possam se sentir não só seguros como também que haja qualidade do trânsito para a qual elas irão retornar, é uma das grandes vantagens de centros urbanos investirem em tecnologias de gestão e monitoramento.

Indústria brasileira com 15 anos de credibilidade no mercado, a Pumatronix contribui para a modernização da fiscalização de trânsito em cidades inteligentes. Conheça melhor nossos produtos e soluções: https://pumatronix.com/produtos-e-solucoes/

Fique atualizado

Matenha-se por dentro das novidades tecnológicas para estradas e cidades inteligentes.

    Isso vai fechar em 0 segundos